PPGEQ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Telefone/Ramal: Não informado

Banca de DEFESA: JÉSSICA CAROLAINE VIEIRA DE AZEVEDO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE : JÉSSICA CAROLAINE VIEIRA DE AZEVEDO
DATA : 20/12/2023
HORA: 14:00
LOCAL: Sala 210 - Bloco 2 CAP/UFSJ e pelo link: https://meet.google.com/zeq-ezjb-ckk
TÍTULO:

Remoção de Boro de amostra sintética por adsorção em óxido de grafeno


PALAVRAS-CHAVES:

Remoção de Boro; Adsorção; otimização; óxido de grafeno


PÁGINAS: 95
RESUMO:

Os inúmeros estados de oxidação do elemento boro, traz grande desafios em conter sua contaminação em corpos receptores. No decorrer dos anos este cenário aumenta significativamente nos últimos anos devido a ampla utilização dos compostos de boro em diversas indústrias. Por essa razão, a remoção desse contaminante está recebendo atenção mundial. Embora a adsorção seja um método promissor para resolver este problema, encontrar adsorventes adequados com relação custo de aplicação e recuperação e ao mesmo tempo eficientes na remoção do boro, ainda continua sendo desafios constantes. Assim, assim este trabalho teve como principal objetivo avaliar a aplicabilidade do óxido de grafeno puro e modificado com cloreto de cálcio como adsorvente na remoção de boro de soluções aquosas diluídas em sistema de batelada. Foram realizados ensaios de varredura de adsorção em batelada para remoção de boro utilizando bagaço de malte, carvão do bagaço de malte, alginato de cálcio, alginato de cálcio impregnado com flor de musa, óxido de grafeno e óxido de grafeno impregnado com cloreto de cálcio. O adsorvente que apresentou melhores resultados de percentuais de remoção e capacidade adsortiva foi o óxido de grafeno. Observou-se que o processo de adsorção de boro em OG pode ocorrer em ampla faixa de pH, o que é vantajoso em nível industrial devido as variações de seus efluentes reais. Em pH 2,5 o percentual de remoção de boro e capacidade adsortiva foi de 80% 3,43 mg.g-1 e em pH de 8,5 foi de 90% e 3,96 mg.g-1, respectivamente. Posteriormente, serão realizados ensaios mediante um planejamento de experimentos, pelo método do delineamento composto central rotacional (DCCR), buscando encontrar os efeitos do pH, granulometria do adsorvente, tempo de agitação, concentração inicial de boro e razão sólido/líquido na capacidade de adsorção de boro. Os ensaios de adsorção para a obtenção das isotermas serão realizados avaliando-se diferentes razões sólido/líquido (5,0; 10,0; 25,0; 50,0; 75,0; 100,0; 150,0; e 200,0 g de grafeno/kg de efluente) e conduzidos em incubadora shaker, a 25,0±0,1 °C e 150±1 rpm, pelo tempo de equilíbrio determinado nos estudos cinéticos. Já os ensaios para a determinação da cinética da adsorção, termodinâmica e do tempo de equilíbrio serão realizados avaliando-se a razão sólido/líquido otimizada e conduzidos em incubadora shaker, em três temperaturas distintas (15,0±0,1 °C, 25,0±0,1 °C e 35,0±0,1 °C) e 150±1 rpm, por 48 horas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1985765 - FABIANO LUIZ NAVES
Interno - 1893854 - ALEXANDRE BOSCARO FRANCA
Externo à Instituição - SERGIO FRANCISCO DE AQUINO
Notícia cadastrada em: 18/12/2023 18:39
SIGAA | NTInf - Núcleo de Tecnologia da Informação - +55(32)3379-5824 | Copyright © 2006-2024 - UFSJ - sigaa05.ufsj.edu.br.sigaa05